Sinesad



ORIENTAÇÕES








SINESAD NA MÍDIA


Agosto/17

Associação Paulista de Medicina
APM realiza II Simpósio de Medicina de Família e Comunidade



Agosto/16

Internação Domiciliar Avança



Junho/16

NEAD e SINESAD reprovam matéria publicada pela Exame e se posicionam junto à revista









ORIENTAÇÕES AOS FILIADOS


O COOPERATIVISMO E A ATENÇÃO DOMICILIAR À SAÚDE


Embora a organização em forma de cooperativa exista há séculos e esteja prevista em nossa Constituição Federal que, inclusive, a protege e incentiva, atualmente, as notícias e movimentos contrários ao cooperativismo têm sido cada vez mais comuns no Brasil.

Foi criada uma falsa ideia de que todas as cooperativas são fraudulentas e de que as empresas que as contratam também visam fraudar a legislação trabalhista, o que, na maioria dos casos, não é verdade. São afirmações sem análise criteriosa daqueles que se apoiam em dogmas pessoais ou em ideologias infundadas.

Vale reafirmar que este tipo de organização é totalmente constitucional e legal, tem uma representatividade econômico-social muito importante para o nosso país, gera benefícios diretos e indiretos, como inclusão, melhoria da qualidade de vida e acesso a ferramentas para um melhor desenvolvimento social.

Os mais de 32 textos legais brasileiros sobre cooperativas de trabalho demonstram que este tipo de associação não é danoso a ninguém, muito menos ao Governo e aos trabalhadores. Aliás, a sustentabilidade de qualquer setor pressupõe uma postura afirmativa contra a precarização e a exploração do trabalhador.

O desenvolvimento socioeconômico de um povo, mais do que das relações trabalhistas, depende da formação moral, ética, técnica e da capacitação de seus profissionais e empresariado, além dos recursos financeiros direcionados para cada setor. Portanto, é fundamental analisar com cautela e de forma individualizada o cooperativismo, para não colocar em risco um setor extremamente importante para a economia nacional, bem como as pessoas que dele dependem.

Uma das formas mais salutares de resolver a maioria dos problemas é através da negociação, da política e do debate constante. Neste sentido, para enriquecer a discussão e subsidiar nossos filiados com informações importantes, trabalhamos com nossa Assessoria Jurídica, com o NEAD, com representantes de empresas filiadas e seus respectivos departamentos jurídicos, na elaboração de um material sobre o tema. Nele, além do histórico e da atuação, destacamos as especificidades da atividade de atenção domiciliar à saúde e a relevância econômico-social das cooperativas.

O resultado desse trabalho está disponível somente para filiados do SINESAD, que terão, ainda, informações de como encontrar cooperativas, pontos de análise obrigatória e recomendável, princípios e disposições que devem pautar os contratos, pontos operacionais de responsabilidade das cooperativas, logística e pontos importantes a serem considerados na relação empresa, família e cooperativa.